Segunda-feira, 3 de Agosto de 2009

A nossa felicidade depende só de nós

 

Era uma vez um grande samurai que vivia perto de Tóquio.Mesmo idoso, dedicava-se a ensinar a arte zen aos jovens.

Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Queria derrotar o samurai e aumentar a sua fama.O velho aceitou o desafio e o jovem começou a insultá-lo. Chutou algumas pedras na sua direção, cuspiu no seu rosto, gritou insultos, ofendeu os seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível.

No final do dia, sentindo-se já exausto e humilhado, o guerreiro retirou-se.

E os alunos, surpresos, perguntaram ao mestre como ele pudera suportar tanta indignidade.


- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?- A quem tentou entregá-lo, respondeu um dos discípulos. - O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos. Quando não são aceites, continuam a pertencer a quem os carrega consigo.
 

 

 MORAL DA HISTÓRIA

A nossa paz interior depende exclusivamente de nós.

As pessoas não nos podem tirar a calma. Somente se nós permitirmos. 

 

Há textos que pela sua força não podem passar sem ser partilhados. Este emocionou-me particularmente. Já o li várias vezes e de todas as vezes consigo emocionar-me. Porque imagino o velho em toda a sua calma de quem é sábio e tem um coração puro a enfrentar os insultos e a manter-se sereno. Como a água de um ribeiro que sabe que ainda que corra devagar acaba sempre por chegar ao mar.  

 

Obrigado amiga por me o enviares 

sinto-me: Grato pelos amigos que tenho
música: Silêncio

publicado por FilipeP às 21:23
link do post | comentar | favorito
15 comentários:
De Marta a 3 de Agosto de 2009 às 22:12
Filipe,
E tomara todos nós chegar a esse conhecimento. Lindo o texto.

Beijinhos


De FilipeP a 3 de Agosto de 2009 às 22:44
É verdade.
Eu esforço-me por isso mas admito que estou muito longe dessa paz interior. Pode ser que um dia seja previligiado em a encontrar. Até lá resta-me continuar á procura.

Beijinho e uma boa semana


De cumplicedotempo a 3 de Agosto de 2009 às 23:52
não conhecia este texto , foi um prazer le-lo
sem duvida emocionante e uma grande lição de vida
atitude e sensatez

bem haja para ti


De FilipeP a 4 de Agosto de 2009 às 12:41
Se conseguissemos aprender todos este ensinamentos que nos chegam de todos os lados seriamos sábios certamente. Ainda assim é bom reflectir sobre a sua essencia e mensagem.

Abraço


De Marta a 3 de Agosto de 2009 às 23:54
Uau fantástico. Engraçado como em apenas palavras escritas é nos permitido aprender tanta coisa.

Beijinhos


De FilipeP a 4 de Agosto de 2009 às 12:42
Olá Marta
É mesmo interessante este texto. São daquelas coisas que nos aparecem e que dão um bocadinho que pensar.

Beijocas e continuação de boas férias


De Selene a 4 de Agosto de 2009 às 08:30
Belo texto, existem tantas histórias que nos podem ensinar tanto.
Também sou fã deste mestres zen que te uma capacidade de concentração, paz de espírito e coração enormes!
Sem dúvida, a nossa paz interior só de pende de nós...



De FilipeP a 4 de Agosto de 2009 às 12:48

Sabes, eu ligo muito estes textos ao budismo. É um sonho que tenho, passar uns meses num templo budista, naq India ou no Butão :) . Acho que seria uma daquelas experiências completamente enriquecedoras.
Que bom que era se nós fossemos capazes de controlar assim tão bem a nossa paz interior


De Selene a 4 de Agosto de 2009 às 20:41
Quem sabe se um dia não irás lá...
Li um livro de uma senhora que fez uma espécie de viagem para se encontrar a ela própria, chama-se "Comer, Orar, Amar", ela foi a comeu em Itália, orou na India e apaixonou-se na Indonésia. É um livro interessante, é uma sugestão de leitura...
Também gostava imenso de ter essa paz interior mas isso requer anos de retiro e treino!
As férias como estão a correr?


De FilipeP a 4 de Agosto de 2009 às 21:06
Acho que vou começar com viagens piquenas. :)
As férias estão a correr bem. Amanhã vou para Arouca como tinha dito. Mas as coisa ainda estão um bocado desorganizadas aqui... Como é costume devo c
adeixar metade das coisas que preciso. Mas isso é que dá emoção é viagem.
Só espero que não chova


De Selene a 4 de Agosto de 2009 às 21:29
Lol, isso é o costume... Esquecer sempre qualquer coisa.
Se Deus quiser não vai chover, eu até acho que ouvi falar em melhoria do tempo.


De abelhinha a 5 de Agosto de 2009 às 13:05
Texto muito bonito...

Bjs


De FilipeP a 5 de Agosto de 2009 às 13:37
Obrigado.
Também acho

Uma boa semana para ti
Beijinho


De Luis Pereira a 6 de Agosto de 2009 às 22:52
Obrigado pela partilha sábia desta história zen. De facto, é emocionante a sua leitura.


De FilipeP a 11 de Agosto de 2009 às 20:50
Olá Luis.
É sempre bom relembrar-mos estes pensamentos tantas vezes quanto pudermos.

Abraço


Comentar post

.mais sobre mim

.Mirones

Free Counters

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. E mais um sonho :)

. Mais um dia

. Conto 1

. Onze minutos

. A ilusão das lâmpadas eco...

. O que comemos é o que pen...

. Nem tudo é o que parece.....

. A ignorancia é felicidade

. Questão

. Horta de varanda

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Apoio

Partido pelos Animais e pela Natureza
blogs SAPO

.subscrever feeds