Terça-feira, 11 de Agosto de 2009

De volta

Cá estou eu de volta a casa.

As férias foram maravilhosas, apesar de pequenas. Mas como se costuma dizer " as coisas boas duram o suficiente para se tornarem inesqueciveis"

Afinal a net do parque deixou de funcionar no sábado dai não ter feito as restantes partes, mas deixo-vos aqui o que escrevi no proprio dia numa folha de texto.

 

 

Diário de uma viagem Parte-2
O sábado foi reservado á “caminhada pré histórica" ou PR15. Este percurso de 18km é efectuado na totalidade no topo da serra da Freita, passando por algumas aldeias e campos de cultivos. Não tem declives muito acentuados, com exepcão dos últimos 3 Km que em que se tem de fazer uma subida de quase 1Km quase a pique  Altura em que as pernas já falham um pouco. É um caminho muito bom para observar a paz e a calma da planice da Serra. Um daqueles sitios onde não se ouve nada com exepcão do vento dos passaros e das cigarras e grilos. De resto é o silencio absoluto. Existe uma certa magia em fazer este percurso sozinho, porque apesar de estarmos sós não temos essa sensação, não sei muito bem explicar. 

Tive sorte porque o ceu estava ligeiramente nublado, logo não fui muito fustigado pelo sol caso contrário seria terrivel.
 

 

 Diário de uma viagem Parte-3

O Domingo foi reservado ao percurso PR2 "viagens pelos vales do Urtigosa. Este percurso de 11km pergorre todas a encostas dos vales do rio Urtigosa e seus afluentes. Para começar bem não consegui encontrar o inicio do do percurso. Era suposto começar ao pé de uma igreja, mas por azar a terra onde começa (Rossas) tem umas 3 ou 4. Finalmente encontrei, passados 30 min de andar á procura.

O caminho começa muito lindo passando junto a um rio. Com os castanheiros a providenciar sombra. Depois começa-se a subir e passa-se para uma zona de pinhal / eucaliptal. Aqui aconteceu a primeira aventura do dia. Perdi-me . Andei cerca de 1h30m, sempre a subir numa zona de eucaliptos, com o sol a pique, perdido sem conseguir encontrar as marcações do percurso . Após esse tempo resolvi voltar para trás e no inicio da subida lá encontrei as marcações... Nesta hora e meia de subida agreste consumi quase a totalidade da água que tinha. Ao encontrar o trilho certo percebi que tinha um problema de água. Mas o mais engraçado é que ao encontrar uma pequena fonte fiquei tão contente que no fim de beber água e arrefecer a cabeça me esqueci de encher a garrafa . Só passados 15 min é que me lembrei . Como andei sempre perto do rio não stressei muito. Mas passados 2Km a falta de agua começou a complicar-se, quando comecei a subir a serra. Estive sériamente com medo de ficar sem água. Só passados 3km é que encontrei uma fonte no meio de uma aldeia quase deserta (note-se que estes 3km demoraram umas 2h a percorrer).

Há coisas que nós não damos valor nenhum no dia-a-dia e a água é uma delas. Penso que se tivesse passado mais uma hora sem água tinha ficado sériamente stressado e com sérios problemas de hidratação.

O restante do percurso foi muito duro sempre com subidas e descidas muito acentuadas e com o sol muito forte, apesar da sombra ser frequente. A parte mais engraçada nesta etapa foi passar por carreiros no centro das aldeias e a parte final em que fiz cerca de 2km ao lado de uma canalização de regadio, em que aproveitei regularmente para molhar a cabeça (a alegria que é ter água ao nosso lado  ). No fim do percurso que durou 5.30h o cansaço era tanto que nem sentia os pés, para não falar nas pernas que pareciam uns troncos de madeira de tão rigidas que estavam. 
É um percurso maravilhoso, com muita sombra e muita natureza, mas mostrou-me que nós neste mundo somos uns graos de areia. Se por ventura me acontecesse algo, especialmente nos primeiros 4 km seria impossivel pedir ajuda. E os perigos eram mesmo muitos. Desde o de torcer um tornozelo a cair por uma ravina. Decididamente não aconcelhavel a fazer sozinho. Neste percurso não houve aquele lado mais espiritual e sensorial. Notei que foi mais uma batalha pela sobrevivencia. Mas isto por me ter perdido no inicio   

 

E foi o fim dos percursos. 

 

Diário de uma viagem Parte-4

Acho que toda as pessoas têm aquilo que se chama de "feelings" ou intuições. Eu reparo que os tenho com alguma frequencia. Ás vezes são sobre pessoas, outras sobre situções, outras sobre a vida em si.

No domingo á noite tive um "feeling" que devia partir.

Levantei-me na segunda feira depois de ter estado a ouvir um pai a descutir com o filho desde a 6h da manhã. Devia ser a primeira vez que estavam a acampar e apanharam logo uma noite super ventosa. O jovem estava assuntado e só inventava conserva para manter TODASas pessoas acordadas. De notar que eram do norte, e cada 3 palavras 4 eram asneiras e o pai também não se poupava... comecei a ver o filme para os próximos dias... ninguem iria dormir!!! Como já no domingo tinha pensado em mudar de poiso, esta situação só veio confirmar.

Num instante peguei no livro do campista e tracei a rota: Parque de campismo de Moimenta da Beira junto á barragem do Vilar. 

Não podia ter sido escolha mellhor. Um parque de campismo pequenino, mas com umas condições muito boas. Classificado de 1*, mas eu daria-lhe 3. Só a falta de um bar e de supermercado lhe reduz a oferta de serviços, mas tem 2 piscinas (uma grande e outra para a pequenada), campo de voley e de futebol. Condições dos sanitários 5*. Nas margens da lagoa que se forma devido á barragem existem umas praias fluviais muito boas e a água é quentinha. Um bom sitio para quem tiver um barquito de borracha dar umas voltas. Á noite no parque nada de confusões, tudo muito calmo, só uns grupos a conversar em tom baixo, uma maravilha.

Aconselho a todos os que procurem um parque bem calmo e com zona de banhos  mesmo ao lado. De realçar que fiz um amigo que se lembrou de me acordar hoje ás 8.30h  (fotos no proximo post) 

 

sinto-me: De volta a casa
música: Reiki songs

publicado por FilipeP às 21:30
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De azuldoceu a 13 de Agosto de 2009 às 20:59
Que aventura!
Confesso que não tinha coragem para me meter numa aventura destas e ainda por cima sozinha...
Só de pensar em andar perdida, sem água e incontactável...
Mas ainda bem que correu tudo bem!
Beijocas


De FilipeP a 13 de Agosto de 2009 às 23:47
Hehehe.
Faz parte da aventura andar sozinho, mas admito que tem os seus perigos. A questão da água só se colocou orque me perdi, senão não havia problema.
Mas são passeios espetaculares e divertidos para se fazer com um grupo de amigos. Espero conseguir fazê-lo um dia.

Beijocas


De Just Moments a 14 de Agosto de 2009 às 01:14
..devia ter lido este primeiro!

hummmmmmmm

mas ok..ambos tivemos férias pequenas mas que valeram muito..ou como dizes: o tempo suficiente para se tornarem inesquecíveis..

aqui estamos de volta..
and let´s party!!

Beijinhos


De FilipeP a 14 de Agosto de 2009 às 10:32
pois devias.....
É mesmo. Foram umas férias muito divertidas e com momentos inesqueciveis.

Calma que ainda faltam 3 dias para voltar á rotina... Por enquanto ainda dá para ir até á praia. hehehe


Beijoquinha e DIVERTE-TE

P.s. ainda estou á espera de um certo mail


Comentar post

.mais sobre mim

.Mirones

Free Counters

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. E mais um sonho :)

. Mais um dia

. Conto 1

. Onze minutos

. A ilusão das lâmpadas eco...

. O que comemos é o que pen...

. Nem tudo é o que parece.....

. A ignorancia é felicidade

. Questão

. Horta de varanda

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Apoio

Partido pelos Animais e pela Natureza
blogs SAPO

.subscrever feeds